Mário Costa quer projetar os clubes de futebol portugueses na CPLP

Mário Costa quer projetar os clubes de futebol portugueses na CPLP

Mário Costa, o novo Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), afirma estar  empenhado, à margem das funções que vai desempenhar, na missão de “tentar projetar os clubes na CPLP”, aproveitando a experiência que tem enquanto Presidente da União de Exportadores da CPLP.

Empossado ontem no cargo, para que foi eleito por unanimidade dos clubes de futebol portugueses presentes na eleição intercalar provocada pela saída de José Mendes, que integrou o Governo português como Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, prometeu ainda “lealdade e transparência” ao presidente da Direção da Instituição, Pedro Proença, no dever de “cumprir os estatutos e credibilizar o futebol”.

Mário Costa irá desempenhar funções no remanescente do mandato correspondente ao quadriénio de 2015-2019, depois de um processo eleitoral que contou, entre outros, com a presença de António Salvador, presidente do Sp. Braga, bem como representantes do FC Porto, Benfica, V. Guimarães e Académica , os outros clubes que subscreveram a candidatura de Mário Costa. O Sporting não rubricou o seu apoio antes do sufrágio, mas também se fez representar na Invicta e votou em Mário Costa, à semelhança de 12 clubes da Liga, sendo que os restantes votos que elegeram o dirigente dizem respeito aos 10 clubes da 2.ª Liga que exerceram o seu direito.